quarta-feira, 14 de julho de 2010

Coraline o e Mundo Secreto (Coraline, 2009)

Diretor: Henry Selick
Roteiro: Henry Selick, baseado em história de Neil Gaiman
Elenco: Dakota Fanning (voz), Teri Hatcher (voz), Keith David (voz), Jennifer Saunders (voz)


Mais um longa inspirado nos quadrinhos de Neil Gaiman chegou as telonas ano passado, depois do moderado sucesso de "Stardust" seria óbvio que mais uma das suas histórias chegaria ao cinema e a escolhida da vez foi "Coraline", uma novela de fantasia e horror que ele lançou em 2002 e ganhadora de diversos premios, mas para passar do papel para a celulóide acharam que a história ficaria ainda mais fantástica se fosse em stop motion, o que eu achei uma idéia ótima já que o filme ganha muito visualmente falando, nessa técnica que fora usada pelo próprio Henry Selick em dois de seus filmes mais famosos, "O estranho mundo de Jack" de 1993 e "James e o pessego gigante" de 1996, ambos produzidos pelo master genio Tim Burton, que também co-escreveu o roteiro de "O estranho..." com Michael McDowell. A história de Coraline e o Mundo Secreto (não entendo a fixação por subtítulos que essas distribuidoras tem no Brasil) trata de uma menininha que entediada em sua nova casa descobre uma porta que dá acesso a um novo mundo de fantasia e de muitos perigos também!


A personagem principal é daquelas garotinhas pentelhas que qualquer um tem em sua família, o que a torna crível e de facil identificação, se no começo do filme voce a acha chatinha e tagarela, no final voce ja esta a amando e torcendo para que ela seja feliz ao lado de seus pais, que são pessoas que só pensam em trabalho e ficam o dia todo enfurnados em escritórios escrevendo artigos para jardinagem para uma revista a qual a mãe de Coraline é redatora, mas a incoerencia é que nenhum deles estão muito a fim de ajudar a garotinha no jardim da nova casa, o que faz com que ela acabe encontrando a companhia de Wybie, um garotinho tão falante como ela, mas cheio de medos, principalmente de entrar na casa de Coraline por ouvir histórias assustadores de sua avó que já morou onde hoje mora Coraline e sua família. Em uma noite, Coraline descobre uma passagem para um outro mundo onde ela tem uma "outra mãe" e um "outro pai" que são fisicamente iguais aos seus, exceto pelos botões nos olhos e pela alegria de te-la por perto, ela acaba fascinada pelos seus "novos pais", mas descobre um comportamento estranho na sua "nova mãe", na verdade ela só quer comer seus olhos e seu corpo, assim como fez com outras tres crianças, em algumas cenas meio assustadores para crianças, como na transformação dela em um mostro parecido com uma aranha meio horripilante!


Essa outra mãe acaba raptando os pais de Coraline e fazendo uma aposta com ela, se Coraline achasse os tres olhos referente às tres crianças ela soltaria seus pais, do contrário Coraline ficaria presa para sempre com essa mulher. Claro que já sabemos o final né, Coraline derrota a monstra com a ajuda de um falante gato preto e fica feliz para sempre com seus pais!

Em algumas cenas achei o filme meio arrastado, com algumas cenas bem longas, mas não tira a beleza e a magia do filme, não vai ficar na memória como "A noiva Cadaver" do Tim Burton e nem como "O estranho mundo de Jack" do próprio Selick, mas é uma história interessante que merece ser vista, recomendo a quem gosta de animação e ainda mais de stop motion!

4 comentários:

vitor silos disse...

Gostei muito do filme, realmente não é um Noiva Cadáver, mas é muito bom, achei meio arrastado la para o finalzinho também...
Senti que o final deu uma deixa para uma continuação, não seria má idéia nao ne?!

Rodrigo Mendes disse...

Belo texto!

Eu fiquei apaixonado pela beleza e criatividade desta animação. Agora o diretor Henry Selick teve os créditos que merecia, já que em 'O Estranho Mundo de Jack' ficou tudo para o Tim Burton.

Ele provou que é tão brilhante quanto Burton.
Acho CORALINE mais divertido e interessante que Noiva Cadáver!

Stop Motion é a melhor técnica para usar numa animação. Tudo fica mais próximo ao universo físico!

Abs,
Rodrigo

Thiago disse...

Não gosto muito desse tipo de animação, me lembra muito as idiotices do Tim Burton, que é um diretor que não consigo suportar! Acho a maioria de seus filmes totalmente dispensáveis, principalmente esse mais recente, "Alice", que é tão chato que dá sono.

Valeu por passa lá no meu blog, abraço \o

Saulo S. disse...

É mesmo Rodrigo, finalmente ele teve o crédito merecido por um filme, mas foi o que eu falei no texto, achei algumas partes meio arrastadas, mas gostei bastante do filme!

Como assim Thiago? Não gosta do Tim Burton? Da uma chance ao cara, seus filmes (em grande maioria) são ótimos, realmente Alice é bem fraco, mas não da para levar muito em consideração porque é da Disney né e padrão Disney hoje em dia não é lá essas coisas, vide High School Musical e outras coisas! Mas o cara é bom, ve alguns outros dele!